sábado, 23 de abril de 2016

Jornal Clarin também noticiou o fenômeno heterogoy



Na edição de 26 de agosto de 2015 de O Clarin, o prestigiado Jornal soltou uma matéria sobre o novo comportamentos sexual masculino. Vejamos o conteúdo:

La liberación sexual sigue creciendo. 
Gran parte de la sociedad, que se define como “normal”, con o sin aceptación de la diversidad, se sigue preguntando las causas de tal cuestión, como si existiera una anormalidad, enfermedad o algún hito terrible que determinó la diferencia. La pregunta es siempre la misma:¿son elecciones que hacemos o nuestra sexualidad viene ya impuesta como sello con nuestro nacimiento? Innato o adquirido, la ciencia sigue investigando, pero cada vez hay mayores certezas de bases biológicas prenatales como predisponentes. ¿La orientación sexual, al igual que la zurdera responderían a un patrón biológico?* 
(*) Resposta pelos novos estudos NÃO, veja esse link.
Los heteroflexibles se definen como heterosexuales y, en cierta forma, lo son. Los encuentros esporádicos que buscan son totalmente libres y sin compromisos emocionales. No son bisexuales. No se enamoran de sus parejas, no ventilan sus preferencias ni desean a los dos sexos por igual. Para la mayoría de los gays, los heteroflexibles son excelentes amantes. Y es que, como se brindan esporádicamente, en secreto y con tanta curiosidad, lo dan todo. Se dejan, disfrutan.  COMENTÁRIO: HÃ? É MESMO?! AQUI NO BRASIL, OS GAYS COSTUMAM É...   TRIPUDIAR DOS G0YS....
Por su parte, el bicurioso desea encuentros no suele besar al hombre ni practicarle sexo oral, aunque sí le gusta recibirlo.
Lejos de ser una moda, el psicólogo Alfred Kinsey ya estableció una escala sobre la orientación sexual humana en 1950. Determinó que, al igual que la escala de grises (de blanco al negro), algunas personas nos sentimos atraídas por personas del otro sexo en la totalidad de los aspectos, otras, en algún porcentaje y algunas otras en ninguna. Ya por los ´50 estableció estos grados: arranca en 0= heterosexual y llega a 6=homosexualidad exclusiva y dominante.
Según su estudio, la mayoría de las personas nos encontramos en los grados 1 y 2.
El heteroflexible disfruta de esta práctica y lo hace por diversión, para salir de su rutina marital, para aprender, por curiosidad y tantos otros motivos personales.
Assina a matéria: María Tesler, especialista em sexualidade.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Casado (e g0y!)


Muitos homens casados, mesmo amando suas esposas, nutrem uma certa atração por outros do mesmo sexo. Muitos são heterogoys, outros bissexuais plenos. Fato é que, os segundos estão em maioria no meio gay, procurando ativos e/ou passivos, para um sexo apenas, nada mais. Fazer sexo apenas uma vez não vai acabar com o desejo, ele vai voltar. Ficar pulando de galho em galho numa promiscuidade que traz lá os seus riscos não é uma coisa muito segura para alguém, ainda mais casado. É traição? Relação sexual com outra pessoa sendo você casado é traição. O homem sabe disso, e muitas vezes tem que lidar com a sua consciência, gerando sentimentos de revolta e muita frustração. Ou trai mesmo sem nenhum pudor, renegando totalmente o amor à sua esposa. 

Há homens com atração, mas longe de querer penetrar ou ser penetrado. Eles querem APENAS ter contato, curtir, estar junto com um cara e não estar amarrado ou preso pela cultura hétero normativa. Enfim, são coisas de homens. É ai que deve ser falado sobre os g0ys. Não que ninguém precise ser rotulado, mas em meio há tantas confusões sexuais e mentais, que é bom encontrar pessoas que desejam o mesmo que você, um chão que você possa pisar. É casado? Então precisa saber que não é solteiro, respeite a sua esposa e atenção para ela, nesse ponto até as amizades podem ficar limitadas. Vale a pena fazer um bom amigo, e até alguns mais íntimos, mas não amantes, amigo!


Para conforto psicológico, no começo é até bom ou é de preferência que seus amigos g-zero-y estejam em uma condição mais estável também. A afinidade se dá primeiro pelo meio afetivo, com respeito e boa conversa, ela pode ser (ou não) mais íntima. São coisas que precisam ser lidadas sem abalar a amizade, muito menos o casamento. O que temos para os homens casados é isso: primeiro fazer saber que não estão sozinhos, que não são gays enrustidos e não precisa sofrer por sua sexualidade que é expressa não de uma forma carnal, mas apenas erótica/afetiva. Segundo, relações assim são possíveis, e nelas estão a segurança da discrição e da verdadeira afetividade, que irá tirar o desejo de sempre procurar outros para sexo. A terceira decorre da segunda, como não há penetração e parceiros variados, a chance de contrair alguma doença é muito baixa, e lembre-se, além da sua saúde, você também é responsável pela saúde da sua esposa. E quarta, sua consciência não deve ficar pesada, você estará numa relação de amizade, sabendo muito bem viver a condição de amigo e a condição de marido, dando a cada pessoa a devida entrega. Esqueça esse negócio de pré-formatação de orientação sexual. O movimento g0y é para todos os homens!

sábado, 16 de abril de 2016

Dê ao seu corpo o que ele merece


O cuidado físico entre nós homens tem dois paralelos: os dos que cultuam um corpo sarado como forma de alimentar a vaidade e fazer selfies legais em frente ao espelho e a dos que praticam algum exercício físico, seja na academia ou ao ar livre, pensando basicamente na saúde. Pois bem, ambos podem se conciliados sem nenhum problema. O corpo do homem foi feito para ter força, isso é inevitável, e é um dos fatores que nos difere fisiologicamente das mulheres. Essa potencialidade da força é algo que todo homem merece experimentar, nas palavras do filósofo Sócrates:

"Nenhum cidadão tem o direito de ser um amador em matéria de treinamento físico. Que desgraça é para o homem envelhecer sem nunca ver a beleza e a força do que o seu corpo é capaz."

A beleza e a força do que seu corpo é capaz... uma frase que compreende todo o sentido do corpo masculino em sua perfeita condição física. Ser capaz de vivenciar isso vai além de um mero exibicionismo puramente narcisista ou uma tentativa de se fazer homem pelos centímetros dos músculos. É de conhecimento que o treino pesado ajuda na produção natural da testosterona, um hormônio que tem efeito sem igual no corpo inteiro de um homem, ajuda a produzir proteínas e é essencial para o comportamento sexual normal e para as ereções. 


Também afeta muitas atividades metabólicas, como produção de células do sangue na medula óssea, formação do osso, metabolismo de lipídios, metabolismo de carboidratos, função hepática e crescimento da próstata. Isso se resume em duas coisas: fortalece a virilidade e a saúde do homem.


Horas de trabalho estressante no escritório, muito tempo em frente à televisão, ingestão de junk food e tantas outras práticas que acaba prejudicando o corpo e sua vitalidade podem ser remediadas - ou pelo menos amenizadas - com horas adequadas de exercícios e treinos. O custo benefício está entre a força de vontade e a produção de energia para viver as melhores coisas da vida, pronto para suportar qualquer situação com determinação, disciplina e força. Seu corpo agradece.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Casal discutindo a Relação - g0y


  O vídeo tem uma imprecisão, pois; SIM hoje existe a tendência do g-zero-y ser considerado uma quarta identidade sexual, agora  também é verdade que esses conceitos como dito no vídeo pela própria Julia Peres - não são dogmáticos e eles estão se solidificando. 
Veja mais sobre esse tópico da quarta identidade: Visão interdisciplinar e...
Veja mais sobre essa questão dos rótulos: O novo rótulo não importa o que...

domingo, 10 de abril de 2016

Como Se Livrar de Um Chupão!

Um chupão é, essencialmente, um hematoma que aparece após sua pele ser chupada ou ainda mais raramente ter sido mordida. Isso ocorre porque as micro veias nesta região estouram.

Nos causa constrangimentos se forem na região do pescoço, afinal em outras regiões você conseguirá facilmente esconder e até se forem em outras partes mais visíveis, fica mais fácil criar uma estória, como um esbarrão, pancada etc.  
E agora de forma sacana e de propósito ou de uma forma acidental o chupão já está lá. O que fazer?

DICA Nº 01

1
Faça uma compressa gelada. Você pode usar gelo ou uma bolsa térmica. Coloque uma toalha entre a compressa e a sua pele. Você também pode colocar uma colher de metal no congelador por alguns minutos e aplicá-la na pele, diretamente no chupão.



DICA Nº 02

2
Massageie a região do chupão. Além de aplicar uma compressa fria, massagear a área vai estimular a circulação sanguínea. Métodos comuns de massagem incluem esfregar as mãos ou aplicar pressão com:
  • Uma escova de dentes de cerdas duras.
  • uma tampa de caneta
  • as próprias mãos em movimentos circulares.





DICA Nº 03


3

Esconda o chupão. Dependendo de como você se veste e da época do ano, há diversas formas de esconder um chupão com facilidade. O segredo é esconder o chupão sem chamar muita atenção para a região. Você pode usar:
  • Um lenço.
  • Uma blusa de gola olímpica.
  • Uma camisa com colarinho.
  • Um cachecol.
  • Uma blusa com capuz.
  • Se faz o estilo alternativo, um colar tribal grande e grosso.
  • Etc.  Use a criatividade.
Utilize o seu lado feminino - e deixe de onda, pois todos têm! E sem medo Aplique uma maquiagem. O chupão não some, mas você pode cobri-lo com maquiagem para que fique muito menos visível.  
ATENÇÃO BROW,  só tome cuidado e escolha a maquiagem atentamente para combinar bem com o tom da pele.
Se não tem mulher por perto e/ou um estojo de maquiagem dando sopa, você ainda pode tentar  aplicar pasta de dentes no chupão. No entanto, isso só funciona em peles bem claras e não é tão eficaz quanto a maquiagem, mas já ajuda.






quinta-feira, 7 de abril de 2016

Homenagem da namorada

Muito triste, mas ao mesmo tempo muito muito emocionante.



Assumo chorei mesmo,
foda-se essa história que homem não chora.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

A fraude do Evangelho de Felipe



Verifiquei que aqui no Blog houve uma postagem sobre o Evangelho de Tomé,  o qual foi chamado carinhosamente de “Bloco de Anotações de São Tomé”. 

Muito bem colocado. Pois, muito mais do que uma narrativa, o livro achado enterrado nas areias do deserto de Nag Hammadi, se caracteriza muito mais como uma coleção de frases soltas demonstrando a preocupação do possível autor de memorizar as frases do grande mestre, aquelas as quais "ele não poderia esquecer". 

Como cientista fui instigado a mostrar um posicionamento. Por estar pesquisando sobre o tema, eu foco geralmente o tema g0y (g-zero-y) e a heteroflexilidade na ciência. Mas, vou mergulhar um pouco aqui nesse tema mais polêmico e mostrar também um lado mais racional/científico. Não posso negar que essas questões são realmente instigantes, e já toquei em assunto relativamente correlato na minha coluna em outros canais da web, quando resgatei os mandamentos do sexo (o que é certo e errado no sexo, segundo os preceitos judaicos, com valores de comportamento que hoje são universais), que o M. Fratman também retratou aqui. Então não fugirei, vou aproveitar o espaço para falar um pouco sobre o assunto dos evangelhos perdidos e achados - mais conhecidos também como evangelhos apócrifos.


Como foi retratado apenas o Evangelho de Tomé e sua coleção de ditos... Em decorrência disso, na lógica de algumas pessoas pode ter ficado uma lacuna. Porque citar apenas Tomé, se foi encontrado 52 textos antigos em Nag Hammadi, conforme mostrado no vídeo/documentário. 

E claro, uma das motivações é que anos atrás uma obra ficou muito conhecida, baseada em um desses 52 escritos. O CÓDIGO DA VINCI. Talvez você não saiba, mas um dos evangelhos apócrifos foi a principal inspiração para a obra, nesse caso foi: O Evangelho de Felipe.
 
Estudos mostram por datação de carbono que é possível que os textos atribuídos a Tomé datem do ano 40 de nossa Era, ou seja apenas dez anos após a crucificação. Muito próximo dos acontecimentos de fato e surpreendentemente vinte anos antes da escrita de Marcos, que até então é tido como o primeiro Evangelho a ser escrito. 

Mas, deixando os testes do Carbono14 de lado; além da questão temporal, a questão central é que a reunião de ditos atribuídos a Tomé, pelo seu próprio estado de conservação, são mais confiáveis que os demais textos encontrados.

Esse é o papiro que traz a coleção de ditos, chamado de Evangelho de São Tomé:



A foto seguinte é do original do chamado Evangelho de Felipe. Vejamos bem, nesse caso pouca coisa se salvou ao longo dos tempos:


E, o mais espantoso é que, o trecho mais difundido da obra foi retirado desta “página” do papiro pertencente à atual Biblioteca de Nag Hammadi:


E apenas para “os mais encrenqueiros” que porventura possam querem vincular o escrito aqui a paganismo, gnosticismo, a guerra religiosa ou qualquer coisa assim, note que esses temas não são “invenções” e são discutidos de forma avançada em sites católicos como: http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2008/05/19/o-evangelho-de-felipe/.


Agora, vamos direto à frase mais difundida desse Evangelho Apócrifo, que leva a defender Teses indefensáveis, como a de que:
- O seu discípulo mais amado tinha sido uma mulher, Maria Madalena, sua consorte. 
 Essa hipótese é sustentada com base no Evangelho de Filipe que menciona:

"E a companheira do Salvador foi Maria Madalena. Mas Cristo amava-a mais do que todos os discípulos e costumava beijá-la muitas vezes na boca. Os demais discípulos ficaram ofendidos. Disseram-lhe:" Por que que você a ama mais do que todos nós? O Salvador respondeu e disse-lhes: "Por que, eu não vos amo como eu a amo?"

OK. 
O papiro encontrado pode não ser falso. Mas essa frase é falsa e cheia de intencionalidade gnóstica. Vejamos a verdade, que já consta inclusive, não apenas em rodas de especialistas, mas também em sites de amplo acesso como o Wikipédia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Evangelho_de_Filipe ).

   => O texto original do papiro como se nota, está muito fragmentado. Eis as palavras encontradas e as suposições que estão entre colchetes:
E a companheira do [Salvador era Mar]ia Ma[da]lena. [Cristo amou] M[aria] mais do que [todos] os disc[ípulos, e costumava] beijá-la [frequentemente] na [boca]. Os demais [discípulos se ofendiam com isso e expressaram seu descontentamento]. Eles disseram "Por que você a ama mais do que a nós?". O Salvador respondeu-lhes, "Por que, eu não vos amo como a amo?".

— Atribuído a Filipe, no Evangelho de Filipe.


Entenderam o jogo?

E a companheira do ______________ ia Ma__lena. _________ M_____ mais do que _____ os disc______________ beijá-la ________ na _______. Os demais _________________ ________________________. Eles disseram "Por que você a ama mais do que a nós? (...)


Quer brincar de completar frases? 
   Nós podemos tranquilamente fazer também outras versões para o mesmo texto, encontrado no evangelho perdido.

E a companheira do cobrador de impostos de Samaria Madalena. Não era aparentemente digna, mas revelou-se seguidora até, mais do que vários dos discípulos, e vários se recusaram a beijá-la na época. Os demais repreenderam essa atitude e questionaram. Jesus concordou com a não discriminação.  Eles disseram “porque você a ama mais do que a nós?”. O Salvador respondeu-lhes, “Por que, eu não vos amo como a amo?”.



Os mais entusiastas do livro Código da Vinci ainda afirmam que o pedaço do papiro que contém o trecho que cita um beijo se salvou. Esse trecho estaria intacto. E, então, que beijo seria esse! Segundo Karen King, respeitada historiadora da Universidade de Harvard (EUA), os cristãos da época se cumprimentam com beijos para transmitir a sensação de que eram uma família espiritual. 

Os cristãos primitivos herdaram o costume espalhado entre os Judeus da época em que era bem visto que o homem beijasse outro homem na cara, na testa, nos ombros ou nas costas da mão, já o beijo nos lábios de uma mulher, pelo menos em público era causa de escândalo e, em muitas ocasiões, de repúdio.

Não dá para brincar com coisas sérias.  O Evangelho de Felipe, apócrifo de origem gnóstica, foi recentemente publicado em português, com os comentários de Jean Yves Leloup. Este autor endossa a hipótese a qual Jesus se casou com Maria Madalena, não levando em conta o caráter não cristão do texto; que este é de data tardia (século IV) e que recorre ao pseudônimo do Apóstolo São Filipe. Como dito, há uma diferença em relação ao encontrado em relação a Tomé (que data do século I). Não há um vestígio de tal casamento em toda a tradição cristã nem em pesquisas de historiadores sérios – o que já seria suficiente para lançar suspeita sobre a veracidade da hipótese apresentada por Leloup. Acontece que a pseudo história baseada nos papiros se espalhou e foi também reforçada no Código da Vinci de Dan Brown – Fruto da imaginação? Interesses místicos?

A questão é que pelo Papiro de Nag Hammadi e pelo que foi encontrado de fato escrito nele não há como realizar esse tipo de afirmação. E na verdade, não há como realizar é quase nenhum tipo de afirmação.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicidade