segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Mais uma vez falando do comportamento g0y e o que diz a Ciência


Desta vez iremos comentar sobre o estudo conduzido na Universidade de Portsmouth. Esse novo estudo afirma que ter pensamentos homoeróticos é uma parte essencial da evolução humana.

Note mais uma vez que estamos falando de homoerotismo e não de homossexualismo.

Em termos evolutivos, a homossexualidade apresenta algo de um paradoxo. De acordo com Darwin, qualquer característica que faz um animal menos propenso a reproduzir, estaria jogando contra a evolução da espécie.

Agora pesquisadores da Universidade de Portsmouth acreditam que podem ter encontrado a razão evolutiva  para a existência do comportamento homoerótico na espécie humana. Segundo o estudo, nos humanos quanto mais alto o nível dos hormônios masculinos, mais haveria a propensão a se ter pensamentos homoeróticos.

A Dra. Diana Fleischman, autora principal do estudo, interpreta e discute: "Nós falamos o tempo todo
de uma perspectiva evolucionária e nós cientistas tendemos a restringir e pensar o comportamento sexual, como um meio para a reprodução. No entanto, o comportamento sexual e mais precisamente o comportamento bicurioso, homoerótico only, também é usado em muitas espécies, incluindo primatas não-humanos, para ajudar a formar e manter laços sociais. E nós humanos somos essencialmente seres sociais".


   Dra. Fleischman disse que estudos de outros animais na família dos grandes macacos também apontam para o comportamento homoerótico sendo usado para manter e criar novas amizades.
A pesquisa afirma: "A capacidade de se envolver carinhosamente com pessoas do mesmo sexo ou do sexo oposto é comum. Nos seres humanos, quanto se não mais que o comportamento sexual com mesmo sexo, o homoerotismo ocorre em pessoas que não se identificam como homossexuais. "
O estudo da Dra. Fleischman está publicado no Journal Archives of Sexual Behaviour (2014).
doi: 10.1007/s10508-014-0436-6


Em outras palavras, se não houvesse uma mínima atração homoerótica e uma homoafetividade que promove a tolerância entre os machos humanos, a sociedade e a civilização não seria possível. Haveria de forma contrafactual briga e guerra constante entre os machos, tal como existe em várias outras espécies animais que não vivem em grupo/sociedade, e isso claramente, jogaria contra a evolução da nossa espécie.

Basicamente é isso que conduz o estudo, a ideia que a homoafetividade é um dos aspectos que permite a própria existência da sociedade/civilização humana.


domingo, 4 de dezembro de 2016

domingo, 27 de novembro de 2016

Afinal o que o brother quer?

Afirmar para o mundo que é g0y!

E de quebra ... ...
Afirmar que LGBT tá fora da lista dele?
Mostrar que não é Cristão?
Mostrar que que é Ser humano... OK! Acho que é isso, um ser humano não precisa polarizar politicamente entre LGBTs, supostamente de esquerda, e pastores da bancada supostamente de direita. SEJA LIVRE!

Livre para se manifestar publicamente e livre também para não fazê-lo, 
o movimento g0y muito mais do que protestos é um movimento de conscientização!


sábado, 5 de novembro de 2016

O homoerotismo na Grécia Antiga


Vocês já devem ter ouvido falar que o comportamento g0y busca pressupostos na Grécia Antiga, mas abomina o comportamento Romano.

Pois bem, de fato foi o filósofo grego Platão, talvez seja um dos primeiros a “escrever” sobre fatos homoeróticos e ao mesmo tempo, escrever não a favor do homossexualismo (i.e. equivalente ao comportamento g0y – ou  גי; gimmel-yod; g-y, g-zero-y atual). 

Apesar de haver evidências que o comportamento g0y não era exclusivo da Grécia. Lá há provas históricas, que são mais cabais.

A razão, é claro, é simples. Na língua grega antiga as palavras “Homo/Heterossexual” não existiam. A palavra homossexual foi criada apenas em 1869, por Karl-Maria). Na Antiga Grécia existia apenas homens e o comportamento platônico predominante onde o  mais comum é o que hoje chama-se de heteroflex. Eles usavam o termo “Kinaidos” para descrever “homossexuais passivos” e suas preferências:
Kinaidos = Causador de vergonha 
Kineo = mover
Aidos = vergonha
 Que literalmente significa: “Aquele que traz a maldição de Aidos (uma deusa que punia transgressores morais).



Platão, segundo escreve Lacerda Neto em suas reflexões, https://arthurlacerda.wordpress.com/2007/08/12/a-homossexualidade-em-platao/ Vale muito a vela ler esse link, relatava relação homoerótica entre os gregos como: 
"(...) exclusivamente, sem conteúdo eros sexual que, de resto, não compreendia penetração anal e sim o coito interfemural (Fricção do pênis entre as coxas, junto da genitália)".
O pesquisador também coloca que o ato anal existia apenas na situação de dono-escravo, mas apenas como ativo-passivo respectivamente, possivelmente para demostrar dominação. Acontece que, até mesmo essa relação com os escravos, não era bem vista já que: “(...) a penetração do pênis no reto (...), ao passo que na Grécia antiga a cópula homossexual considerava-se desprezível e somente se admitia entre um grego e um escravo, respectivamente nos papéis de ativo e passivo.”

Pois bem até esse lado ‘cultural dominador dos gregos em relação aos escravos’, foi também condenado pelos discípulos de Platão, tanto que baixaram leis para coibir isso e para “os mais velhos”, respeitarem os jovens e escravos. A lei previa pena de morte para os que ‘gostavam’ de maltratar os outros com o coito anal e uma delas foi decretada por Esquines, discípulo de Platão (Leia mais neste livro de Pietro, disponível on-line: https://digitalis-dsp.uc.pt/bitstream/10316.2/24002/1/Cadmo16_Artigo10.pdf?ln=pt-pt ).

Mais além dessa lei, fora da 'era' platônica há diversas outras leis, que mostram claramente que esse récem-criado  mito da Grécia pró-homossexualismo, é uma falácia.

As Leis:
Aeschines“Kata Timarchou”, 21
Se qualquer Ateniense tiver um “Etairese” (companheiro passivo de mesmo sexo) a ele não será permitido:
1) tornar-se um dos nove arcontes;
2) nem desempenar o ofício de sacerdote;
3) nem agir como advogado para o estado;
4) nem deve manter qualquer tipo sequer de ofício, no lar ou fora do lar, quer seja desempenhado por sorte ou eleição; ele não deve ser enviado como mensageiro;
5) ele não tomará parte em debate, nem estará presente em atos sagrados públicos;
6) e nem poderá entrar nos limites de um lugar que tenha sido purificado para a reunião de pessoas. Se qualquer homem for acusado de atividades sexuais ilegais contrárias a essas proibições, ele deverá ser morto.

Pesado?
Demóstenes“Kata Androtionos”(Parágrafo 30)
“… nem deve ter o direito de falar, nem de trazer uma queixa perante a corte.”

Platão pegava mais leve. Apenas defendia que, a pederastia, é um ato contra a natureza. O amor (eros) entre dois homens é normal (kata-physin), mas deve excluir os atos contra a natureza do próprio homem (para-physin).


Conclusão:

Onde eles eram tolerados, eles - os pederastas - se tornavam cidadãos de classe baixa (Metoikos).  As leis os privavam do direito de fazer parte de quaisquer atividades sociais, políticas e hieráticas (nota: relativa a coisas sagradas/religiosas). 

Atenas tinha as leis mais estritas quanto à homossexualidade do que qualquer democracia que já tenha existido. Na Esparta não-democrata, bem como na Creta democrata e no resto da Hélade, houve proibições e punições similares. E no tão referenciado exército homoafetivo de Esparta, os soldados homoafetivos, não eram homossexuais. O soldado que se tornava ‘mulher’ de um outro soldado, tornava-se um homem 'macio’, não servia para a batalha e era expulso da corporação.


Na filosofia de vida Grega, o Amor é o que inspira o que é necessário para levar-se uma vida honrosa.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Nossa página de Links foi atualizada

Foi incluído na nossa páginas de links.
Um novo aplicativo para celular está dando o que falar.
Podendo ser baixado pelo google play e e também pelo App Store, a nova rede reúne Brothers liberais que desejam conhecer outros Brows.

 http://www.bro.social/ para maiores informações.


segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Banda G-Zero, exemplo de coragem e atitude.

Alguns podem até dizer... que vídeo pode até não ser TÃO legal, mas o ato de coragem sim!! Nisso temos que concordar.

Nessa versão, com o vocal nem sempre tão audível,  Assumimos que sofremos para entender o que esses caras o Praise G-zero e Juninho Afram cantam, mas conseguimos por meio do nosso amigo google acabamos descobrindo a letra (pelo menos uma parte dela:

A letra diz:

Yo, first I snatched the streets then I snatched the charts
First I had they ear, now I have their heart
Rappers came and went, I've been here from the start
I seen them put it together, watched them take it apart
Seen the rovers roll up wit ribbons
I seen them re-po'd, re-sold then re-driven
So when I reload, he holds #1 position
When you hot I'm hot
And when your feet cold, mines is sizzelin
It's plain to see, niggaz can't fuck with me
Cuz I'm a be that gzeroy nigga for life
This is not an image, this is bigger given
This is hard livin, mixed with crystall sippin
It's the most consistent, Hov
holla at ya boy





Letra (tradução livre):

Ei você! Primeiramente maravilhei-me com as ruas
Então me maravilhei com as cartas
Primeiramente eu ouvia
Agora seu coração 'Reppeiro' veio e se afastou,
Desde o começo tento me unir a você,
Prestando atenção em você para lhe agradar
Via os vagabundos assistirem fitas da sacanagem
Eu os via dirigindo bêbados e drogados
Então assim quando eu me recarrego,
Prende a posição número 1
Quando você estiver quente;
eu estiver quente e quando esfriarem seus pés,
É bom ver,
Ninguém não pode se foder comigo
Porque eu sou esse ser mano, g0y (gay zero), para a vida inteira
Esta não é uma imagem, este é o grande dado a mim
Esta é vida dura, misturada com o brilho do cristal
É  mais consistente,
Olá garoto! 


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

PlaybØyzada - Se você disser

  
Quem foi que disse que é só gringo que faz vídeo g0y e clipe maneiro!! 


Está aí a Playboyzada!  



A Inclusão do Zero foi por nossa conta. Made in brazil:) :)  :) Mas a turma é massa.
 PlaybØyzada muito legal o vídeo
Valeu Galera!!


segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Brasília - Samambaia Sul

Quem passa pelo metrô de Brasília, no trecho da Samambaia, onde o metrô é aéreo, pode olhar pela janela e ficar curioso. Afinal que pintura é essa nesse edifício?  


Será que... Algum g0y discretamente... sugeriu a pintura da bandeira, e ela está lá...
Tem alguma simbologia por trás? 


Uma resposta é certa, por essas fotos mais antigas, que conseguimos no Google Street, de fato a ideia da pintura veio de alguém da construtora e vigorou desde a época da sua construção.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Identidade de gênero reconhecida pelos que entendem.


O tema g0y foi debatido no XII CONAGES - Colóquio Nacional de Representações de Gênero e de Sexualidades.

Para quem é estudante, estudioso do tema, pesquisador ou ainda simplesmente goste de aprofundar os assuntos, o artigo científico que trata das novas identidades masculinas de gênero baseadas nas suas práticas eróticas/sexuais (sendo 9 possíveis dentro do mundo CIS - isto é, Cis enquanto mundo masculino e não transgênero).

A identidade g0y (g-zero-y) enquanto prática homoafetiva entra em referência pela primeira vez em português. Leia:

OS MODELOS ESCALARES SÃO SUFICIENTES? O QUASE FETICHE DE ESCALAS E O MUNDO G0Y DOS ANOS 2000: UMA PROPOSIÇÃO DE MODELO MASCULINO CIS.
Link para acessar o Trabalho: http://www.editorarealize.com.br/revistas/conages/resumo.php?idtrabalho=258



segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Presentão- Seleção brasileira de Rugby na Praia


Valew pelas Fotos!


  

Para quem não sabe a seleção joga nas Olimpíadas, e terá a última partida das classificatórias, amanhã às 18h e será contra a seleção de Rugby do Estados Unidos.
SORTE AEH!

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

A decadência gay? Ou vitória - ainda tímida da masculinidade?


    Quem decidiu ser g0y, há pelo menos uns três a cinco anos atrás, sabe muito bem o quanto os g0ys, ou assumirem a sua homoafetividade, sofrerão ataques aqui no Brasil - e justo de quem... dos gays!

Muitos até colocavam palavras na boca de quem não falava nada.

O simples fato de afirmar que não somos gays, era considerado uma agressão por eles... ao mesmo tempo, bissexuais e muitos heteros acharam legal esse lance, de ser homoafetivo respeitando os limites do corpo e para buscar ser mais feliz, ficando em paz com sua natureza e com sua masculinidade, não partir para o comportamento homossexual (ou gay, no termo mais comum). 

Aos poucos, mais gays vão enxergando as vantagens de ser um g-zero-y, ou seja ter um comportamento homo, respeitando os limites saudáveis do próprio homem.

A revista Metropoles em uma matéria assinada por Italo Damasceno, recentemente em 07/06/16, traz no mínimo trechos que seriam improváveis a tempos atrás, vejamos:

Anda cada vez mais difícil ser gay. Foi uma conclusão que eu cheguei junto com alguns amigos depois de um papo em que elencamos .
Eu achei que tinha ouvido errado e para conferir busquei o vídeo da reportagem e estava lá: homens heterossexuais que tem intimidade com outros homens [sem serem gays].

Após o espanto uma conclusão que poderia ser mais útil para tantos outros que nasceram antes do advento da internet: 


Sou nascido nos anos 80 e naquela época as pessoas só se definiam como gay e macho, o g0y não existia e essas são questões de meio termo são muito modernas para mim, mas aceito mesmo assim





sexta-feira, 29 de julho de 2016

15 frases que só um brother de verdade fala um para o outro


Essas frases foram retiradas do site Terra - 20 frases que só um brother de verdade diz para outro.


Só que como vocês verão abaixo, como tem 05 que não fazem sentido ou são de brothers amigo da onça, copiamos as 20 frases e refizemos o título hehe - afinal a maioria delas de fatos são frases de brothers - e são 15 delas. Vejamos:


1. "Para com essa viadagem"

2. "Não aguenta, bebe leite"   QUE MERDA É ESSA! 



3. "Comeu?"

4. "Se você ficar de mimimimi por causa dela, tá fudido"

5. "Vamo aeh, eu pago"

6. "Ela tá zuada nessa foto, mas eu juro que ela é gostosa"


7. "Seu frango!"  ESSA é de FALSO amigo! Cuidado ele te encara é como concorrente, o que ele quer dizer é que: Você é fraco e ele é o forte.  

8. "Você engordou pra caralho, velho"

9. "Te amo, seu filha da puta"

10. "Foda-se ela, vamos beber"

11. "Apela, mas não zera"  QUE MERDA É ESSA!  Se vacilar, bateu lance é melhor zerar! Nada de furico na jogada!

12. "Dá a primeira que eu garanto" (numa briga)

13. "Hoje eu(nós) vou(vamos) pra caça"

14. "Se alguém perguntar, você não me viu lá"


15. "Mano, o que aconteceu ontem? Não lembro de nada"     QUE PORCARIA DE FRASE É ESSA! O CARA PAGOU BOQUETE OU SEI LÁ O QUÊ E DEPOIS DIZ QUE FOI A BEBIDA É ISSO!?  KKK Certamente g0ys bem resolvidos não terão problemas com isso.

16. "Bora fazer um corre"


17. "E ai cuzão, fazer o que hoje?"  DEFINITIVAMENTE, ESSE CU*ÃO PODE SER TRANQUILAMENTE SUBSTITUÍDO, PUTZ NO CONTEXTO DO ZERO ANAL, PODE PEGAR MAL, ESSAS palavras que NÃO se aplicam, como cuzão, arrombado etc kkk,  PODE SER um; QUE TAL, e aeh mano, fazer o que hoje, e ai brow, e ai parça!


18. "Cara, ela só vai sair comigo se você fizer isso... quebra essa!"

19. "Falei que vou dormir na sua casa"

20. "Eu falei que ia dar merda!"



quarta-feira, 6 de julho de 2016

O Centro Psicológico de Terapia de Conduta na Espanha, referencia a heteroflexibilidade


Los heteroflexibles, como hemos visto, tienen o intentan tener un estilo de vida con un apego sexual y emocional hacia alguien del sexo opuesto, pero está abierto a encuentros sexuales e incluso relaciones afectivas con alguien del mismo sexo dependiendo de circunstancias y situaciones personales. "

     Com essa definição o psicólogo Miguel Cueto, introduz um artigo que foi publicado pelo Centro Psicológico de Terapia e Conducta na Espanha.

   No artigo Miguel argumenta que há uma tendência em classificar os heteros flexíveis como bisssexuais - considerando a escala de Kinsey, no entanto há que se reconhecer que os heteroflex possuem particularidades que são próprias. Miguel Cueto, no entanto defende a ideia de poder reclassificar a escala de Alfred Kinsey, com outras interpretações, considerando os níveis 1 e 2 como heteroflexibles e apenas o nível 3 como bisssexual.

    Pode tratar-se de uma boa tentativa, ou de um rascunho inicial em busca de um modelo mais atual, mas de fato, conceitualmente se como dito: o "Rango 1: Heteroflexibles en primer grado. Serían predonimantemente heterosexuales y sólo incideltalmente homosexuales" obrigatoriamente se acidentalmente homossexual, seria também bissexual, pois para conforto ontológico, haveria que se estabelecer algo além Kinsey, não considerando apenas os atos sexuais, mas os atos afetivos e eróticos (homoemotional).

    Lo heteroflexible, é um rótulo ou termo que ganha força na América Latina, no Canadá e agora também na Espanha, e nada mais é do que o nosso brasileiríssimo heterogoy, batizado em 2014, pelo site brasileiro Hetero g0y. O termo Heterogoy e o termo Hetero flexível (no sentido que não sente tesão pelo ato da cópula homo) são portanto, sinônimos conforme argumenta esse outro artigo, que mostra claramente que o rótulo usado não importa o mais importante é o conceito.

Viva a liberdade de podermos sermos o que somos!

  

sábado, 18 de junho de 2016

XII CONAGES discute a questão g-zero-y

O Colóquio Nacional de Representações de Gênero e Sexualidades na sua 12ª edição que aconteceu nos dias 08 a 10 de junho de 2016 na cidade de Campina Grande - PB, teve claro os temas mais clássicos da área, mas inovou e dentre os diversos trabalhos apresentados, dois apresentaram pesquisas, modelos e trouxeram também o tema g0y para a evidência.

https://www.facebook.com/movimentog0y/posts/1445933225432600
Disponibilizei alguns do slides apresentados para a página do Movimento g0y e também os publico aqui nesse momento:

 




Os trabalhos completos estarão disponíveis no site do evento no dia 17/julho.
Prazo cumprido. O Trabalho completo já está disponível para acesso on-line.


terça-feira, 7 de junho de 2016

Melhor que MMA!

- Mulher reage ao ser assediada por homem 
desconhecido no elevador

A câmera de segurança de um elevador registrou o momento em que uma mulher reage ao ser assediada por um homem. O caso aconteceu no domingo (24/abril) na China.


Assista:

sexta-feira, 3 de junho de 2016

MÓRMON Divulga Livro com Posições para Missionários Homo Afetivos (Escândalo?)

Muitas religiões e igrejas principalmente nos Estados Unidos tem aberto sua teologia para aceitação das relações homoafetivas e desta vez quem causou polêmica foi  de uma Igreja dos Santos dos Últimos dias, lançando um livro  dos Mórmons que aceitam missionários g-ys.


Convém lembrar que no programa de TV ‘Meu marido não é gay’ exibido pela TV norte-americana, os maridos g0ys (alguns que se declararam ex-gays) que participaram do reality show, eram Mórmons.


O polêmico livro mostra imagens ilustrando posições sexuais (na verdade eróticas) de dois missionários usando suas roupas de campo, que é um traje social usado nos momentos que saem para evangelizar.





A questão já seria polêmica por conter um apoio a homo afetividade e ao erotismo masculino entre iguais. Mas, além disso o livro contém algumas posições no mínimo "estranhas" e ambíguas..., Como por exemplo essa última no canto inferior direito. Não é gay? Ou além do homoerostimo eles estariam apoiando também o homossexualismo?

domingo, 29 de maio de 2016

Contei para minha mulher que sou bissexual (e nem era!)

Vamos lá. Nunca pensei que chegaria a este ponto. Fazer um desabafo virtual. Mas, bendita instrumentalidade moderna. Pois não falaria isso, a não ser para um amigo muito íntimo. Tenho 28 anos e sou casado há oito. Tenho uma esposa linda, de invejar qualquer homem, e um filhinho lindo, ainda pequeno, mas já dá para ver que é conversador, parece até que quando crescer será eleitor do Bolsonaro.

Há dois anos atrás cometi um dos maiores erros da minha vida. Contei que era bissexual para minha esposa. Na época contei, porque percebi que meu interesse por sexo hétero estava diminuindo, fiquei frio e indiferente, não porque eu queria, mas porque eu estava sempre achando o contato masculino um tanto interessante (contato só visual até então). Cheguei a pedir separação acreditando que seria melhor para ela conhecer um outro homem que pudesse fazê-la feliz, dar satisfação e atenção que ela merecesse. Também não queria queria trai-la com um outro homem. Fique profundamente deprimido com aquela situação. Quando contei para ela da minha bissexualidade, ela chorou muito, mas disse que iria lutar por mim. 

Porém, percebi que o comportamento dela se tornou possessivo e alarmado. Qualquer homem que se aproxima de mim, ela fica com ciúmes e me trata com ironia e repugnância. Neste últimos dois anos, eu tive inúmeras conversas sobre separação. Explicando que seria melhor para nós dois. Mas ela sempre repudia a ideia e hoje concordo com ela. Poxa vida, sofri demais esse tempo todo, mas hoje descobri que não sou bisexual, nunca tive vontade de ser enrabado, de ter meu ânus dilacerado e arrombado. Comer outro cara? Talvez, mas também não fazia muito a minha cabeça. Sei hoje que sou esse tal de heterogoy, um pseudo-bissexual, um hétero aberto a novas possibilidades, mas no entanto sei dos meus limites.




Sei que ela me ama muito e quer manter a família (que aparentamos ser feliz). Eu a amo também, mas não sentia mais vontade de tê-la como mulher. Hoje que me descobri, parece que o tesão está voltando. As vezes choro escondido no banheiro ou no carro, pois juro que se contar de novo que não sou bissexual - ou sou bi pela metade, talvez daí sim vá ter mais DRs e outras discussões sem fim, do que uma paz conjugal, que é o que quero.

Não queria sentir desejos por homens, mas sinto e o pior acho isso natural, não queria ficar escravo por este sentimento. Mas ficava. Hoje uma simples palavra, reajustou meus pensamentos, parece incrível, mas me sinto outro, mais leve, em equilíbrio e a ideia do Bromance, junta tudo o que preciso para ser feliz, posso ter contato com um homem ou mais de um, manter meu casamento e também meus sentimentos e desejos em relação a família. 

Mas não há uma dia se quer, que meu coração não faça eu digitar g0y no google para ver ser tem material novo. Pena que tem tanta porcaria na internet, só 50% se aproveita.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

A MATEMÁTICA DO SEXO

Lembram da teoria dos conjuntos?

Pois bem, você já deve ter ouvido falar que o mundo g0y (g-zero-y) é um conceito de interseção ou seja, é intermediário entre o mundo heterossexual e o mundo homoafetivo.

Mas, como se dá essas interseções de uma forma visual?


 Vejamos!
Fonte: Imagem construída com base nos estudos de Almeida Neto Et. Alli (2015)

terça-feira, 24 de maio de 2016

Refletindo sobre Orientação Política

Muito se fala sobre a diferença entre g0ys e gays, já que ambos gostam de homens e se declaram homoafetivos, qual a diferença? 

Que um beijo não transforma um homem em homossexual é praticamente ponto pacífico. Que o ato anal e em especial como passivo é de fato a imagem mais forte vinculada ao mundo homossexual, também, é ponto pacífico. Se o conceito g0y (g-zero-y) quer passear por esses dois extremos, situando-se apenas e exclusivamente no mundo homo afetivo e no homo erótico, sem invadir o mundo homossexual, qual seria esse limite ou esses limites, eis a questão.

A primeira resposta possível é buscar objetividade, ou seja buscar parâmetros no comportamento e nesse ponto o movimento g0y acerta. Apesar de polêmico e que por mais que tenha pessoas que ainda discordem, o g0y behaviour  ou seja, a prática ou não prática do sexo anal, pode ser sim uma resposta inicial e possível.

Na verdade, essa arbitragem na minha opinião foi e é uma grande e articulada busca de um mínimo de consenso, para abrir caminho e possibilitar a existência de um movimento, de grupos, de encontros g0ys, etc. Enfim, criar uma identidade social. Caso contrário, correria-se o risco de ficar eternamente apenas na discussão de possibilidade ontológica diferenciada entre homoafetivo e homossexual, no campo filosófico abstrato e com cada um com a sua perspectiva. E, quando os limites não são claros e um conceito é amplo demais, a sua identidade acaba sendo prejudicada. 

Vide por exemplo o conceito de bissexual - que de tão amplo, certamente abarca a maioria da população, mas até hoje não conseguiu se solidificar, porque é tão amplo, tão amplo, tão vasto que no mundo real, torna-se demasiado fluido e diluído de tal forma, que fica sem força. Para completar dos anos 2000 pra cá, o movimento LGBT aproveitou essa "fraqueza" em amplitude, para incorporar o Bissexual na sua sigla de luta, mas ao mesmo tempo soa sem credibilidade, afinal ninguém nunca viu um bissexual militante LGBT, não se ouve a voz de um bissexual pegar o microfone falar que é casado e tem filhos e levantar a bandeira do arco-íris. 

Politicamente falando, o movimento LGBT é de fato focalmente G (gay) e L (lésbico) e com a participação de forma mais tímida de alguns Ts (transgêneros).

Sob esse ponto político, fica uma reflexão: Sites gays durante o processo de impeachment da Presidente da República e sua votação na Câmara/Senado, de forma maciça os LGBTs se posicionaram contra o impeachment. O site brasileiro Heterogoy (http://heterogoy.webnode.com/news/voce-e-a-favor-do-impeachment/), por sua vez, realizou também uma enquete, sobre o mesmo tema   e 70% dos usuários que participaram afirmaram ser favoráveis ao impedimento da presidente.

Isso seria uma surpresa? Para mim não. Apenas mostra que há diferenças entre gays e g0ys e essas diferenças vão muito além do que se faz ou não se faz na cama, são diferenças que ainda não se sabe por completo, mas que invadem outras áreas da vida, pois tem a ver com a atitude, tem a ver com a forma de encarar a vida e em especial com a perspectiva de  mudança da postura de vitimização para uma postura pró-ativa. A visão política que de um lado tende a ser mais de esquerda e do outro aparentemente tende a ser mais de centro ou ainda de centro-direita, é apenas mais uma das facetas a mostrar nuances e diferenças entre gays (homossexuais) e os g0ys (homo eróticos/afetivos).

Isso só mostra que essa história (na verdade estória) de que toda mulher deve ser feminista, todo homo masculino deve ser militante LGBT, não é bem assim... Há que se ponderar que a sexualidade e bandeiras políticas não possuem um casamento linear e obrigatório. As bandeiras de movimentos sociais, todos eles, inclusive o novo g-zero-y não podem se tornar uma prisão psíquica, devem ser apenas ser o que são: valores e ideais postos, que as pessoas aderem por se sentirem representadas pelos seus postulados.



quarta-feira, 18 de maio de 2016

Fã (Homem) pega carona na bike de Caio Castro


Para mostrar  que é um camarada do bem e realmente desencanado:


De folga, Caio Castro trocou o seu carrão pela bicicleta - ótimo menos poluição no mundo - e durante um passeio pelo Rio de Janeiro. Enquanto pedalava na sua Bike, um paparazzo pegou alguns flagrantes deste momento relax, entre eles o astro bem juntinho ao dar uma carona para um fã que o fotografava.

  


segunda-feira, 9 de maio de 2016

O bromance é ou não é uma tradição!

O afeto entre homens não foi criado nesse milênio por nós g0ys. Nós apenas sistematizamos alguns conceitos e valores. Assista a este vídeo e você entenderá melhor:

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Hector Thyso e o mundo g0y.

O mano do Blog SoH LoKo falou do que ele pensa do tema g0y (g-zero-y).




No post "GayZero: Quem são os brothers?" o brow Hector Thyso mostrou ser muito macho, sem preconceitos e em um papo reto, mandou ver a sua opinião 

GayZero: quem são os brothers?


Não vamos vamos demais para estimular você clicar no link e ver a matéria completa, mas para antecipar um pouco, Hector defende que o ato anal-zero é saudável e é um retorno àquele estágio inicial da adolescência comum de muitos homens.

sábado, 23 de abril de 2016

Jornal Clarin também noticiou o fenômeno heterogoy



Na edição de 26 de agosto de 2015 de O Clarin, o prestigiado Jornal soltou uma matéria sobre o novo comportamentos sexual masculino. Vejamos o conteúdo:

La liberación sexual sigue creciendo. 
Gran parte de la sociedad, que se define como “normal”, con o sin aceptación de la diversidad, se sigue preguntando las causas de tal cuestión, como si existiera una anormalidad, enfermedad o algún hito terrible que determinó la diferencia. La pregunta es siempre la misma:¿son elecciones que hacemos o nuestra sexualidad viene ya impuesta como sello con nuestro nacimiento? Innato o adquirido, la ciencia sigue investigando, pero cada vez hay mayores certezas de bases biológicas prenatales como predisponentes. ¿La orientación sexual, al igual que la zurdera responderían a un patrón biológico?* 
(*) Resposta pelos novos estudos NÃO, veja esse link.
Los heteroflexibles se definen como heterosexuales y, en cierta forma, lo son. Los encuentros esporádicos que buscan son totalmente libres y sin compromisos emocionales. No son bisexuales. No se enamoran de sus parejas, no ventilan sus preferencias ni desean a los dos sexos por igual. Para la mayoría de los gays, los heteroflexibles son excelentes amantes. Y es que, como se brindan esporádicamente, en secreto y con tanta curiosidad, lo dan todo. Se dejan, disfrutan.  COMENTÁRIO: HÃ? É MESMO?! AQUI NO BRASIL, OS GAYS COSTUMAM É...   TRIPUDIAR DOS G0YS....
Por su parte, el bicurioso desea encuentros no suele besar al hombre ni practicarle sexo oral, aunque sí le gusta recibirlo.
Lejos de ser una moda, el psicólogo Alfred Kinsey ya estableció una escala sobre la orientación sexual humana en 1950. Determinó que, al igual que la escala de grises (de blanco al negro), algunas personas nos sentimos atraídas por personas del otro sexo en la totalidad de los aspectos, otras, en algún porcentaje y algunas otras en ninguna. Ya por los ´50 estableció estos grados: arranca en 0= heterosexual y llega a 6=homosexualidad exclusiva y dominante.
Según su estudio, la mayoría de las personas nos encontramos en los grados 1 y 2.
El heteroflexible disfruta de esta práctica y lo hace por diversión, para salir de su rutina marital, para aprender, por curiosidad y tantos otros motivos personales.
Assina a matéria: María Tesler, especialista em sexualidade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicidade