segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Que idiota!

Durma com um barulho desses... falar o quê? Ora essa, pelo menos o outro tá curtindo os posts do babaquinha heheh. E que bom que inventar ser goy não desfez a amizade e nem gerou discriminação, agora tem certos amigos, que sei não... sei não...

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Afinal o que é um g0y? O que dizem os especialistas

O termo g0y (escrito com um zero - g-zero-y) marca um homem que interage com outro homem, no entanto esse zero começou a ser escrito em meados dos anos 2000, para marcar uma interação não "gay" - no sentido anal e pleno do termo gay.
O 'zero' começou então a servir para marcar a situação que quando houver contato íntimo com outros homens, essa intimidade será parcial, e não ocorrerá até o limite do sexo anal. 

Uma novidade desse século e ainda não catalogada em relação ao comportamento sexual masculino conhecido. 

E agora nessa década em que o comportamento g-zero-y (g0y) masculino ganha cada vez mais adeptos; surge uma lacuna para a ciência com a pergunta: Afinal o que é um g0y? Especialistas concederam entrevistas na TV e se posicionaram cada uma a seu modo, marcando a diversidade do tema.

No vídeo nº 01  -  O Dr. Pedro Castro (http://www.topvitrine.com.br/colunistas) e a sexóloga Carla Cecarello (http://www.carlacecarello.com.br/Home), ambos, concordam com os argumentos expostos no artigo científico , que foi exposto e amplamente debatido em Santiago na Universidad de Chile.
No Programa da Luciana Gimenez, exibido pela Rede TV em rede nacional  a perspectiva foi a de se considerar o g0y enquanto uma quarta identidade sexual do Homem Cis. O que implica em dizer que um gØy nessa perspectiva não é um hétero normativo tal como o conhecemos, nem gay, nem bissexual. configurando assim, uma quarta dimensão do comportamento sexual masculino.

No vídeo nº 02 - A sexóloga Cida Lopes (http://www.cidalopes.com.br/) em um programa de Tv a cabo,  também disponível na internet, colocou a questão g0y como uma vertente de comportamento, que busca o intermediário - Nem 8 nem 80, diz ela - ou seja, não é nem hétero ao extremo, nem gay ao extremo.
 Para ela, um hétero flexível ou heterogoy, não seria uma quarta identidade pois não fogem da classificação de heterossexual, apenas não é um hétero tradicional que não se permite e nem concebe nenhum tipo de contato entre iguais. Mas trata-se de heterossexual, mais natural, que se permite a relações afetivas.

No vídeo nº 03 - Na Record News, a psicanalista Darlene Viana, abordou a questão g0y enquanto um código de ética do comportamento atual masculino, tal como, existia na Grécia Antiga em referência aos tratados de comportamento de Platão. Para a psicanalista, apesar de trazer valores e princípios o comportamento g0y não seria nem certo nem errado, mas apenas uma variação em busca do prazer 


VÍDEO 01 - SUPER POP - LUCIANA GIMENEZ (Rede TV - TV Aberta)


VÍDEO 02 - REVISTA BH NEWS - TV A CABO


VÍDEO 03 - SALA NEWS ESPÍRITO SANTO - RECORD (Filiada ES, TV aberta)
O

Atualmente, nota-se uma certa convergência em considerar o g0y com uma nova identidade sexual masculina - concordando com o conteúdo exposto no site heterogoy e também em considerar como tradução de um comportamento masculino derivado de uma filosofia (ou modo de ver a vida) e precisamente de um código de conduta ética - concordando com o conteúdo exposto no site g0ys.org.

E isso, sem falar a parcela da população que ainda insiste de forma preconceituosa, em considerar o g0y enquanto um gay enrustido, ou seja, um homossexual "que finge" ser apenas homo masculino afetivo/erótico, mas faria "anal escondido". E para você o que faz mais sentido? Comportamento intermediário e não extremista, conduta de valores éticos masculinos, nova identidade?

Pessoalmente penso que os três fazem sentido e de certo o fato é que nós existimos e como qualquer pessoa queremos ser felizes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Publicidade